Em 2014, depois de deixar Itália onde estive em Erasmus, fui à Bósnia-Herzegovina para o Volunteer Summer Summit da EFIL, passando por Split no caminho. Antes da minha partida falei com alguns amigos a ver quem estaria interessado em fazer uma road trip pelos Balcans depois do evento e o Niklas, o André e a Katharina, dois alemães e um português, alinharam! Alugámos um carro em Sarajevo (realmente barato, cada um pagou cerca de 40€ por uma semana inteira), visitámos Mostar, cruzámos a fronteira para a Croácia para visitar Dubrovnik e finalmente chegámos ao Montenegro. Normalmente eu gosto de planear as minhas viagens mas desta vez estava a viajar com dois alemães que, temos de admitir, nasceram com aptidões organizacionais bastante superiores 😛 E eles conduziam… por isso desta vez só tive de ir sentadinha, relaxar e aproveitar, o que é maravilhoso!

Dia 1 (depois de visitar Dubrovnik de manhã): A primeira cidade onde parámos foi Herceg Novi, já no “fiorde mais a sul da Europa”, a baía de Kotor. O clima não estava óptimo, mas a cidade é muito agradável, com o seu castelo com vista para a baía e para o mar. Não ficámos muito tempo na cidade, demos apenas uma pequena volta, porque íamos dormir em Budva, a uma hora e meia de Herceg Novi, uma vez que tínhamos de contornar toda a baía. A vista é espectacular mas o céu ia ficando cada vez mais escuro e quando chegámos ao nosso pequeno hotel chovia tanto que nem conseguíamos descarregar as malas! O pessoal do hotel foi super atencioso, serviram-nos o jantar e nós só esperámos que o tempo ficasse melhor, uma vez que tínhamos planeado um dia de praia para o dia seguinte! [Dormida em Budva]

Dia 2: A manhã seguinte estava solarenga e por isso ficámos muito felizes! Queríamos ir até Sveti Stefan, uma pequena ilha amuralhada acessível apenas por uma ponte de pedra desde a praia mas quando lá chegámos percebemos que a ilha é na realidade um retiro privado para milionários e que não poderíamos entrar. Além disso, a praia de areia adjacente era também privada e teríamos de pagar 75€ por pessoa para a frequentar… é escusado dizer que fomos para praia de pedras do outro lado da ponte, onde toda a gente está… À noite explorámos Budva. Jantámos num fantástico restaurante de peixe chamado Jadran, decorado com milhares de objectos da Harley Davidson, e depois entrámos na cidade amuralhada. Em Agosto tem bastantes turistas (mas não demasiados), o que s torna bastante agradável, com muitos músicos e artistas de rua! [Dormida em Budva]

Dia 3: Deixámos o nosso hotel bem cedo e fomos até Stari Bar, um castelo no topo da colina, perto de Bar. Não é uma visita obrigatória, mas é um castelo engraçado! Quando planeámos a nossa viagem queríamos ir até à Albania, mas depois percebemos que o seguro do carro não cobria o país e decidimos não arriscar. De qualquer forma decidimos passar pelo Lago Skadar para ver a Albania de longe (é igual a Montenegro :P). Este dia acabou por ser um pouco perdido, uma vez que passámos o tempo todo no carro a atravessar estradas de terra horríveis pelo meio das montanhas. Já íamos tão cansados que nem nos preocupámos em parar em Cetinje e só a vimos de dentro do carro. Finalmente voltámos a ver a Baía de Kotor, significando que já estávamos perto do nosso hostel, perto da cidade de Kotor. Decidimos ficar em Ljuta, fora de Kotor, porque os preços na cidade eram demasiado elevados, uma vez que se trata da cidade mais turística de Montenegro. [Dormida em Ljuta-Kotor]

Dia 4: Tempo de visitar Kotor! Esta cidade é lindíssima, mais uma dentro de muralhas, onde tudo é em pedra! Estava ainda decorada com motivos carnavalescos, o que nos fez questionar se eles não celebrarão noutra época que nós. Ficámos tristes por ter de partir mas tínhamos uma reserva em Zabljak no Durmitor National Park (a 165km – uma das vantagens de viajar em países pequenos é poder atravessá-lo de uma ponta à outra em menos de três horas!). Arrendámos um apartamento na pequena cidade montanhosa, cozinhámos em casa e estávamos todos tristes porque era a nossa última noite em Montenegro antes de regressar à Bósnia. Antes do jantar ainda fomos ao Crno jezero (o lago negro, embora na verdade sejam dois lagos, um verde e outro azul, as Sete Cidades de lá) e para mim este lago foi o que eu mais gostei da viagem, não o podem perder, tal como não podem deixar de atravessar todo o Parque Nacional! [Dormida em Zabljak]

Dia 5: Atravessámos o Durmitor National Park de volta para a Bósnia. Vistas e cores extraordinárias, passando por vacas no meio da estrada, ovelhas nas montanhas. A certo ponto decidimos parar e jogar um jogo típico alemão que o Niklas tinha trazido! E no final uma bela surpresa – o lago Piva, com as águas mais turquesa que eu alguma vez vi! Foi a melhor forma de nos despedir deste belo país! [Dormida já em Sarajevo]