Istambul, não é a capital da Turquia, como muitos pensam, mas é sem dúvida a cidade com mais história de todo o país! Estive lá no Verão de 2013, quando a situação política começava a aquecer, mas nunca vimos nada de muito grave ou ameaçador, só algumas manifestações e muita polícia na rua, uma vez que o nosso hotel ficava perto da Praça Taksim. Mais uma vez fomos com a Viagens Abreu. Aterrámos ao final do dia, com a Turkish Airlines, a melhor companhia aérea com que já voei até hoje! Com a Abreu ficamos sempre em hoteis fabulosos, um luxo a que não estou habituada quando viajo sozinha! Na manhã seguinte a visita começou no museu e palácio Topkapi:
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Depois fomos até Hagia Sophia, que já não é considerada uma mesquita mas sim um museu. Aprendemos que também tinha sido usada como igreja católica, quando Istanbul se chamava Constantinopla e era a capital do império romano. Depois voltaram os muçulmanos e só pintaram as paredes de modo a não se ver os santos, embora entretanto se possa ver nalguns lugares.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
A Mesquita Azul, mesmo à frente:
.
.
.
Quando se está a sair de Hagia Sophia há um espelho que nos lembra que devemos sempre olhar para trás! Há uma pintura impressionante por cima da porta, que não devem perder! Ainda antes do almoço, incluído no pacote da Abreu, outra vantagem de viajar com eles porque temos a oportunidade de realmente comer comida típica, visitámos Yerebatan (A Basilica Cisterna). Se já viram o filme Inferno, inspirado pelo livro do Dan Brown, vão reconhecê-la:
.
.
.
.
Depois do almoço visitámos o Obelisco de Teodísio, mesmo ao virar da esquina, e vimos algumas pinturas representativas da cidade de Istanbul:
.
.
.
De seguida visitámos a Mesquita Azul (também conhecida como Mesquita de Sultanahmet), onde pudemos entrar e ver os muçulmanos a rezar. Como poderão saber os homens e as mulheres têm áreas separadas para rezar e no caso desta mesquita há ainda uma área dedicada para os turistas.
.
.
.
.
.
Voltámos então para o hotel, que tinha esta vista. Não era bem no centro histórico, mas pelo menos víamos mais de perto como os turcos vivem! Os jantares não estavam incluídos no pacote, por isso íamos sempre até à Avenida Istiklal, uma via pedonal com muitos restaurantes e comércio. Depois de viver na Alemanha eu estava muito excitada com o facto de ir comer um verdadeiro Kebab na Turquia… desapontamento! E até experimentei em dois sítios diferentes, para ter a certeza que a culpa não era do restaurante…
.
.
.
.
.
.
Na manhã seguinte tínhamos na agenda um passeio de barco pelo Bósforo até à grande ponte que liga os continentes europeu e asiático:
.
.
.
.
.
Palácio Dolmabahçe:
.
.
.
.
.
Depois do almoço ainda tivemos algum tempo para visitar o Bazar das Especiarias antes de seguirmos para o aeroporto, de onde partia o nosso voo para Ancara, a verdadeira capital.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Fomos então para Ancara, daí sempre de autocarro para a Capadócia, visitámos Pamukkale, Tróia, Izmir, basicamente vimos metade da Turquia e regressámos para Istanbul para um último dia antes do regresso a Lisboa – o que normalmente é triste, porque significa que as férias estão a acabar, mas como íamos voar com a Turkish Airlines não estávamos assim tão tristes! Tínhamos o dia livre e outra das coisas boas da Abreu é que viajamos em grupos de tamanho médio, mas com pessoas de todas as idades, famílias, casais, pessoas que viajam sozinhas, então passámos o dia com os outros dois casais com filhos das nossas idades.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Depois de visitar mais um Bazar, à procura das últimas lembranças, fomos até à Mesquita de Suleymaniye. Nesta não podíamos entrar para a área de oração, apenas podíamos observar desde os pátios.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Daí fomos a pé até ao hotel, ainda bastante longe, mas assim poderíamos ver toda a cidade pelo meio!
.
.
.
.
.
Torre de Galata (para os amantes de futebol, é desde bairro que é o Galatasaray):
.
.