Como poderão saber estudei arquitectura e embora não exerça, nem alguma vez tive vontade de o fazer, é uma grande paixão visitar obras interessantes, perceber como o Homem as ocupa, como vive, como as vê. Durante o curso li um livro dos BIG (Bjarke Ingels Group) chamado “Yes is more”, em alusão a várias frases ditas por arquitectos famosos como o “Less is more” de Mies van der Rohe ou “Less is a bore” de Robert Venturi. Aqui parece-me que o arquitecto dinamarquês procura o diferente, o peculiar, dizer que sim, mesmo que ao início a ideia possa parecer descabida.

Encontrei-me em Copenhaga por umas horas e, apesar das baixas temperaturas e o vento sentido, o amor pela arquitectura falou mais alto e tive de ir visitar duas obras deste arquitecto, a apenas dez minutos a pé do hotel. A primeira chama-se “VM Houses” e a segunda”A Montanha“. São ambas na mesma rua, uma ao lado da outra, do mesmo cliente e apenas dois anos separam as duas obras – enquanto que a primeira é de 2005, a segunda é de 2007.

Os edifícios VM, chamados assim por, de uma vista aérea parecerem um V e um M foram o primeiro projecto residencial daquele novo bairro de Copenhaga, Ørestad. A casa V, muito mais fotogénica, foi concebida como um “condomínio-varanda”, que no verão se torna um espaço de “convívio vertical”, uma forma de se conhecer os vizinhos enquanto todos estão no exterior a usufruir das suas amplas varandas. Já a casa M explora o conceito da Unite d’Habitation de Le Corbusier, mas uma versão 2.0 em que a área de circulação é interessante como espaço social – infelizmente não consegui entrar no edifício para ter essa experiência.

“A Montanha” é uma segunda geração das casas VM mas com um programa diferente: 1/3 habitação e 2/3 estacionamento. Os arquitectos acharam que a melhor solução seria colocar o estacionamento como as fundações da habitação, uma montanha de betão coberta por uma fina camada de apartamentos, todos eles com terraços ajardinados, numa relação simbiótica.

Sem dúvida um deleite para os amantes da arquitectura e da fotografia de arquitectura!