Genebra, Suíça. Um lugar que não nos salta à cabeça como prioridade a visitar. Uma das vantagens de estar na TAP é precisamente visitar alguns sítios onde nunca tinha pensado ir e Genebra foi uma surpresa muito agradável! É verdade que em Portugal este ano o Verão tem sido uma desilusão, por isso ajuda muito o facto de estar um tempo fantástico em vários lugares da Europa que tenho visitado. A cidade de Genebra, mesmo em cima do lago Léman, é uma gracinha nesta altura do ano, com os seus edifícios impecavelmente mantidos, os seus canais de um azul e de uma transparência impressionantes e o lago que nos faz viajar mentalmente até Lausanne ou Montreaux, na ponta oposta.

A maior atracção da cidade é o Jet d’Eau, um geyser artificial com 140m de altura. O hotel onde ficamos oferece-nos um passe diário dos transportes, pelo que apanhámos os vários barcos que fazem parte da rede de transportes públicos da cidade, afastando-nos um pouco do centro e depois regressando a pé.

Fizemos um piquenique à sombra de uma das árvores junto ao l’Horloge Fleurie, um relógio feito de flores – e na verdade há lojas de relógios de luxo em cada esquina, não estivéssemos na Suíça. Depois caminhámos pela área pedonal do centro e subimos a colina até à Catedral de Saint Piérre, cujo órgão e capela des Macchabeés valem totalmente a visita! É ainda possível subir à torre sineira (5€), que guardei para fazer numa próxima visita.

Continuámos o dia a deambolar pela cidade, pelos canais, a observar os muitos cisnes que nadam nestas águas. É uma cidade que se vê facilmente num dia, mas foi de facto muito agradável conhecê-la!