Sempre que falo da cidade onde vivi no México, Mérida, por não ser tão conhecida em Portugal, refiro sempre que fica perto de Cancún. Na verdade ainda são cinco horas de caminho que separam estas duas cidades, mas para a dimensão do México é perto. Apesar de ter praias muito perto de Mérida, preferíamos sempre ir para as praias do estado de Quintana Roo, onde a areia é branca e as águas azul turquesa, cores características do Mar das Caraíbas e muito diferentes das águas verde-acinzentadas do Golfo do México.

Sei que a maioria das pessoas que vai de férias para o México costuma cingir-se ao hotel em Cancún ou em Playa del Carmen, mas para mim essas duas praias são as menos interessantes, precisamente porque estão cheias de turistas, quase não se ouve falar espanhol, a não ser dos espanhóis que lá estão de férias, arranha céus a poucos metros da água… Para quem procura um México mais autêntico estas são algumas das opções:

Holbox

Holbox é uma ilha no topo norte da Península do Yucatán onde os únicos veículos motorizados que circulam são carrinhos de golfe – que se podem alugar lá de forma a podermos percorrer os 45km de extensão da ilha, por apenas 1,5km de largura. Um mar verde-esmeralda, impossível de desviar os olhos, banha as praias de areia branca e fina, que atrai pelicanos, gaivotas (algumas espécies que eu nunca tinha visto, de bico vermelho e longo), garças e fragatas. Dos apenas 450 quartos disponíveis na ilha, mais de metade ficam à beira-mar. Muitos consistem em chalezinhos brancos por fora mas com paredes coloridas no seu interior, telhados com folhas de palmeiras secas, máscaras mexicanas nas paredes, almofadas e colchas feitas pela mão de artesãos do estado de Chiapas. Um luxo descontraído para nos fazer entender que chegámos ao paraíso e nos esquecermos de todo o stress e a correria da grande cidade, a poucos quilómetros. A ilha é também conhecida pela sua pizza de lagosta, muitos graffitis de muita qualidade e pela rota de migração dos tubarões-baleia, com os quais se pode nadar entre Junho e Setembro.

Isla Mujeres

Como o nome indica, trata-se de mais uma ilha, esta mesmo à frente de Cancún. É muito mais movimentada que Holbox, precisamente pela proximidade com Cancún e por muita gente lá viver o ano inteiro. Tem até um aeródromo, que ocupa 1/4 da ilha. Antes de Colombo chegar às Américas, a ilha era sagrada para a deusa maia Ixchel. Quando os espanhóis chegaram à ilha, no século XVI, deram-lhe o nome de Isla Mujeres, Ilha das Mulheres, devido às muitas figuras de culto a essa deusa na ilha. Também aqui se podem alugar carrinhos de golfe para percorrer a ilha, apesar de aqui já circularem carros. Tem óptimos lugares para fazer mergulho, comer bom peixe e ainda um museu subaquático de arte, o MUSA, que é possível visitar em barcos com fundo de vidro ou a fazer mergulho.

Tulum

Tulum é o sítio ideal para se fixar se quiserem visitar a Riviera Maia longe da confusão das grandes cidades e zonas hoteleiras. Aliás, se estão realmente à procura de sossego podem trazer uma tenda e acampar na Praia de Santa Fé, a mais próxima da zona arqueológica de Tulum e ser dos primeiros a visitar as ruínas, logo pela manhã, quase sozinhos! Na praia ao lado, e para quem não gosta tanto de dormir “no chão” há um hotelzinho de palhotas, muito engraçado. Da praia podem apanhar um barco para ver a cidade maia desde o mar, uma vista única, de uma cidade única, pois é a única construída junto à costa. Perto de Tulum temos o cenote Dos Ojos. Os cenotes são lugares onde os rios subterrâneos da península do Yucatán vêm até perto da superfície, e podem ser acedidos. Podem ser totalmente fechados, como um lago numa gruta, semi-abertos ou abertos, e são algo a não perder nesta península. Este é só um dos milhares que existem por todo o Yucatán. Também perto de Tulum estão os parques temáticos de Xcaret e Xel-ha, onde nunca fui pois são feitos para os bolsos de americanos e eu estava a viver com um budget mexicano. Ainda assim toda a gente que conheço e foi recomenda. Também lá ao lado está…

Akumal

Nunca fui a Akumal mas é definitivamente um dos sítios onde tenho de ir na próxima vez que for ao México! Como podem adivinhar pela imagem em cima, é um lugar onde se podem encontrar centenas de tartarugas e onde se pode nadar com elas. Obviamente tentem respeitar o seu espaço e não lhes toquem. Penso que uma boa fotografia e muita felicidade serão suficientes! Foi-me dito que não é necessário marcar um tour para ver as tartarugas, uma vez que elas estão em todo o lado. Basta alugar, ou levar, equipamento de snorkeling e toca a nadar 😉

Mahahual

O sítio ideal para ir com amigos! É uma vila calma à beira mar, com alguns restaurantes e bares agradáveis, onde se pode tomar um copo depois de passa o dia na praia. Mas a melhor coisa desta praia, perfeita para snaps no Instagram e para fazer inveja aos amigos em casa, são as várias redes dentro de água espalhadas pela praia (exactamente como a da primeira foto). À frente de Mahahual está o Banco Chinchorro, um sítio perfeito para fazer mergulho e snorkeling.

Bacalar

Bacalar é conhecida pela Lagoa das Sete Cores e apesar de não ser propriamente uma praia, é um sítio onde se tem de ir. Quando eu digo que não é praia é apenas porque não tem um areal para se estender a toalha e ficar o dia todo a torrar, mas há vários restaurantes e zonas em redor do lago, com pontões e espreguiçadeiras. Claro que também há muitas actividades para fazer no lago, como andar de kayak, fazer um passeio de barco pelos vários cenotes da lagoa – na verdade os cenotes, são partes da lagoa, quase círculos perfeitos, de grande profundidade. Uma das coisas que também achei muita piada em Bacalar e que não sei se há em mais sítios, são hotéis de campismo. Basicamente é uma área cheia de tendas, com colchões e lençóis e tudo, nós não temos de levar nada! Chama-se Magic Bacalar, caso queiram lá ficar.

Apesar de ter estado cinco meses em Mérida, nem sempre tinha tempo ou oportunidade para atravessar a península e ainda há lugares que me faltam explorar, como é o caso de Akumal, de que falei, mas também a ilha de Cozumel ou a Reserva da Biosfera Sian Ka’an.