Como vos escrevi no post passado fomos a Moçambique de férias. 20 dias para conhecer as raízes da minha família materna. Primeiro Pemba, de onde vem a família da minha avó, depois a Ilha de Moçambique, onde uma das nossas primas tem uma casa e passa lá metade do ano. O trajecto entre estas duas cidades, cerca de 500km, foi feito de carro e era uma experiência algo esperada, ver a verdadeira África, o Moçambique rural, perceber como as pessoas vivem.

Uma das coisas que nos surpreendeu foi a quantidade de gente. Não posso falar de densidade populacional mas a verdade é que eram poucos os momentos em que não havia palhotas ao pé da estrada. As casas quase todas com paredes de terra e telhados de palha, quase todas sem saneamento ou electricidade. Muita gente na estrada, a pé e de bicicleta a carregar tudo no topo das cabeças. Muitos mercados, transportes públicos e vendedores na estrada. E belas paisagens!

Depois de três dias maravilhosos na ilha o regresso para Maputo seria por Nampula. Assim tivemos direito a mais três horas de África.