Eu estava em Florença, a fazer Erasmus, a adorar o meu segundo ano de intercâmbio. Estávamos em Abril, o que significava que o ano estava quase a acabar e, apesar de eu adorar Portugal, não me estava a apetecer muito regressar e fazer os últimos dois anos de faculdade no mesmo sítio.

Um dia chego a casa depois das aulas e tinha um e-mail do Gabinete de Relações Internacionais do ISCTE que informava que o banco Santander tinha sete bolsas para oferecer para estudar na América Latina (Programa Ibero-Americano). Vinha com uma lista enorme das universidades participantes de cada país (Argentina, Brasil, Chile, Peru, Uruguai, Colombia, Porto Rico, Espanha e claro, México) e nós só tínhamos de verificar se a universidade a que nos queríamos candidatar tinha o nosso curso.

A bolsa era só para o segundo semestre (de Janeiro a Junho) e eu odeio o frio, por isso excluí imediatamente o sul do Brasil, o Uruguai, a Argentina e o Chile. Espanha nem sequer entrava na corrida e de todos os outros países o México foi o que mais me chamou à atenção, também por eu sempre ter tido um fascínio inexplicável por este país! Ainda considerei o norte do Brasil, mas todos me disseram que as faculdades de arquitectura aí não eram muito boas e no Rio de Janeiro nenhuma das universidades da lista tinha o meu curso. Estava então decidido, seria México!

Eu não sabia muito sobre o país, sabia que a capital era a Cidade do México, conhecida por não ser muito segura, sabia de Cancún e da Riviera Maya e conhecia Monterrey, porque tinha amigas de lá. Esse foi o primeiro lugar que verifiquei, mas achei que era demasiado longe do mar. Então comecei só a procurar imagens das várias cidades que apareciam na lista. Ainda considerei Cancún mas tive medo de não querer sair da praia e depois encontrei Mérida, também na peninsula do Yucatán. Era perfeita, estava perto das praias do Golfo Mexicano, não muito longe das Caraíbas, depois descobri que é considerada a cidade mais segura do México e que tinha temperaturas de Verão durante todo o ano. Também a universidade (Universidad Autónoma de Yucatán) era considerada uma das melhores universidades públicas do México. Estava decidido!

Algo fantástico é que os grupos de estudantes tinham acesso às listas de estudantes internacionais que iam para Mérida, por isso contactavam-nos a oferecer ajuda ainda antes de chegarmos. Podíamos comunicar com todos os estudantes do mundo que iam para lá, procurar casa, era óptimo! Os melhores grupos para mim são a Integrate Mérida (mais como Erasmus, não tem tantos mexicanos, mas tem as melhores festas!) e Aventurate Mérida (as melhores viagens, o mais mexicano possível, não tão “festivaleiros” como os primeiros)* e depois tínhamos a Backpackers Mérida (o Raul adora Mérida e adora mostrar os lugares da forma mais tradicional, contando-nos histórias e de facto ensinando-nos coisas sobre as pessoas e os lugares), a Mexplorando e a Movy Mérida (que era quem organizava a maioria das viagens).

Quando eu falo aqui de mexicanos é porque a maioria dos estudantes de intercâmbio são de facto mexicanos – como o país é tão grande, eles vão de intercâmbio para a outra ponta do país, o que é óptimo porque temos a oportunidade de conhecer mexicanos de todos os cantos (e depois visitá-los depois das aulas acabarem!)

Com estes grupos viaja-se por preços tão bons que nem acreditamos! Eu participei em viagens organizadas para Ek-Balam, Chichen Itza, Isla Mujeres, Playa del Carmen, Tulum, Bacalar, Mahahual, Holbox, Rio Lagartos, Las Coloradas, Valladolid, Calakmul, fiz a Ruta Pucc, fui a cenotes, andámos por todo o lado na peninsula do Yucatán! A maioria das vezes acampávamos na praia, era espectacular!

Outra das vantagens são os preços! O México é barato, e agora ainda mais barato está pela desvalorização do peso. (Vejam o meu post “Quanto custa viver em Mérida“).

Se estiveste em Mérida ou no México e tens alguma dica ou razão para adicionar, comenta em baixo! Se estás a pensar ir para lá mas ainda tens dúvidas, não tenhas medo de escrever-me!

Então, razões para ir para Mérida em intercâmbio:

  • Uma das cidades mais seguras do México (a sério, eu andava sozinha pela cidade à noite e sentia-me mais segura que em Lisboa)
  • Fica na Peninsula do Yucatán, o que significa que está perto das Caraíbas, que tem milhares de cenotes, as mais belas ruínas maias e cidades coloniais
  • Grupos que nos ajudam ainda antes de chegarmos a Mérida e que organizam a melhores e mais baratas viagens para ti
  • Barato para viver e para viajar
  • Verão o ano inteiro
  • De facto conhecemos mexicanos e não só estudantes internacionais
  • Aprender espanhol, muito importante se queremos viajar ou viver na América Latina
  • Bem, é o México! A comida, a música, as pessoas, as cores!

*Actualização: Este grupo já não existe, as duas pessoas que o formaram, uma está com a Mexplorando, por isso acredito que tenha levado os valores da Aventurate para lá.